Adotando um amiguinho para o seu gato

Isso pode dar super certo ou super errado, depende da idade, personalidade dos gatos envolvidos e da forma como são apresentados.

Se você tem um gatinho só e ele já for velho, dificilmente dará certo, pois ele já está acostumado com a solidão e a ter tudo só para si. Gatos idosos brincam menos e provavelmente não vão gostar de um gato novo pentelhando e querendo brincar. Mas se você tem um gato jovem, ativo e que apronta muito, um amiguinho pra ele pode ser uma boa.

Se o seu gato antigo for um macho, procure adotar uma fêmea. Os machos aceitam melhor. Se o seu gato antigo for uma fêmea, você poderá adotar tanto um macho quanto outra fêmea. Não se esqueça de castrá-los, para que fiquem mais calmos e para evitar filhotes.

Quando for apresentá-los você precisa tomar alguns cuidados, para que a chance de sucesso seja maior:

  • Antes de trazer o novo gato para casa, prepare para ele um quarto separado do resto da casa, para você poder mantê-lo preso nos primeiros dias. Coloque neste local a tigela de água, de comida, um local confortável para ele dormir e o banheirinho (bandeja com areia). Lembre-se de colocar a areia longe da água e comida.
  • Traga o novo gatinho para casa e coloque no quarto já preparado. Não permita ainda o contato do novo gato com o antigo. Deixe o gatinho novo à vontade para explorar o quarto. Seja carinhoso, mas não force a barra. Se ele não quiser colo ou ser acariciado, dê a ele um tempo. Deixe o gato um pouco sozinho para explorar o ambiente. Afinal, são tantas novidades que é preciso um tempo para se acostumar com elas.
  • Entre no quarto de vez em quando e interaja com o novo gatinho. Acostumem-se um com o outro. Não se esqueça de dar toda a atenção ao seu gato antigo, para ele não sentir ciúmes do novo gato.
  • No segundo dia, mantenha a porta do quarto fechada e deixe o gato antigo chegar perto da porta para cheirar o gato novo, mas não os deixe cara a cara. Através da porta fechada, eles vão conseguir sentir o cheiro um do outro. Com os gatos tudo deve ser feito aos poucos, sem forçar a situação.
  • No terceiro dia, deixe o gato antigo entrar no quarto com o gato novo. Fique junto para evitar qualquer briga. Se isso acontecer, você pode usar um spray de água para separá-los, ou então jogar um cobertor sobre eles. Isso vai distraí-los da briga. Deixe-os à vontade para se cheirarem, mas por pouco tempo. Mais tarde, repita o procedimento, aumentando o tempo um pouquinho. Faça isso por uns dois dias, algumas vezes por dia.
  • Se estiver tudo bem, sem brigas ou estranhamentos, é hora de deixá-los juntos. Mantenha a comida e caixinha de areia do novo gato ainda separados dos objetos do gato antigo.
  • Mantenha assim por mais alguns dias. Se você sentir que a paz está reinando na sua casa, você pode tentar colocar os potes de comida perto um do outro, para facilitar a sua vida. Mantenha as caixinhas de areia separadas. Estas, o ideal é manter sempre separadas. Gatos não aparentados geralmente não gostam de compartilhá-las.
  • Pronto, agora você tem dois gatos que, aos poucos, podem se tornar grandes amigos. Pode ser que isso nunca aconteça, mas mesmo assim, uma companhia é sempre bem vinda. O importante é que não haja brigas entre eles. Sempre que eles brigarem, repreenda-os.
  • No começo, dê bastante atenção e carinho ao gato antigo, para que ele tenha certeza de que continua sendo amado. Fique sozinho com ele por alguns momentos do dia.
  • Com o passar do tempo, não se esqueça de dar o mesmo carinho aos dois, para evitar ciúmes de ambas as partes.
  • Sempre que você não tiver sucesso em uma das etapas, retroceda ou comece tudo novamente. Paciência é primordial.

Apesar de todos estes cuidados, a adoção pode não dar certo. Por isso, pegue o novo gato sempre com a condição de devolvê-lo ao antigo dono caso tudo dê errado. Se você estiver comprando um gato, deixe isso bem claro para o vendedor: você só ficará com o novo gato se o antigo aceitar. Se o novo gato tiver sido pego na rua, tente achar outro dono para ele. Nunca, em nenhuma hipótese, devolva o pobrezinho para a rua. É a pior coisa que você pode fazer.

 

Fonte: Site Biologados